terça-feira, 13 de abril de 2010

amor não tem idade


“Amor não tem idade”... todos dizem, porém nunca tinha entendido como é isso. Assim como nunca tinha entendido muito bem a frase “a vida continua” até o dia em que perdi minha mãezinha. Amor não tem idade mesmo, o mesmo sofrimento que se tem aos 15 anos, pela perda de um amor, eu tive aos 20, aos 30 e agora aos 40. O que mais perturba é o fato de o nosso manual de instruções não nos dar as dicas de como proceder no começo, meio e final do amor, está incompleto. Além disso, não tem também um chip que dê para tirar e parar de pensar.


Pensar. Acabo de descobrir que o que normalmente é motivo de orgulho para as mulheres, ao término de um relacionamento passa a ser nosso maior defeito. Pensamos o tempo todo. Pensamos porque ele não liga, pensamos porque ele liga. Pensamos porque ele sorriu quando você falou algo legal, pensamos porque ele ficou sério quando você disse que ainda o ama. Pensamos o porquê de ele não responder aquele e-mail e o porquê de ele responder. Pensamos o que ele quis dizer com “estou confuso” e o que quis dizer com “preciso de um tempo”. Pensamos que faz um dia que não ligamos, pensamos que faz 2 dias, três dias, quatro dias... Pensamos, pensamos e pensamos.


E quem disse que pensar não cansa, não esgota, não acaba com a gente? E eles? Ahhh... não pensam, não mesmo. Não estão nem aí para o nosso sofrimento. Insensíveis? Não chegaria a tanto. Eu diria diferentes, são somente muito diferentes de nós e mesmo assim os queremos ao nosso lado pelo simples fato de que se é ruim com eles, muito pior sem e a gente continua tentando já que o amor não tem idade mesmo.

Márcia.

3 comentários:

Simoni disse...

cada dia estou mais convencida que no meu manual de instruções também tem algumas partes faltando...

no mais acho que vou me limitar à minha insignificancia ao invés de dizer uma frase que nao serve pra nada.

Agente se fala e desculpe qualquer coisa! hihi

Márcia "Lily" Reis disse...

Mas é aquela coisa que a gente conversou... se chorei ou se sorri, o importante é que emoções eu viviiiii.....
Tenho pena dos pobres de emoções. Eles não sentiram as coisas da vida.

Mariza disse...

Assim como não tem idade, não é porque um acabou que outro não virá. E o amor pode se mostrar de várias formas!O importante é que a vida continua "mesmo".O mundo não vai parar por causa da nossa dor. E a gente não pode deixar essa dor nos parar.Pelo contrário, a use como mola propulsora!Todo sentimento pode se transformar...mas é um processo, e há de se ter coragem para continuar!


Beijo no coração!